Estudante falsifica evidências médicas para alegar que namorado a violentava e acaba presa

0

Natasha Uttamsingh, uma estudante de obstetrícia, foi presa após falsificar relatórios médicos e mentir para a polícia afirmando ser estrangulada e espancada pelo namorado. Presa há 15 meses, ela estava determinada a manter a já desgastada relação com Aakash Andrews, e ameaçou arruinar sua carreira se o namoro acabasse.

Assim, ela resolveu denunciá-lo por estupro, fazendo com que fosse preso. Contudo, os detetives que investigavam o caso, eventualmente, descobriram que tudo era mentira. Segundo eles, no momento em que ela alegou ter recebido a mensagem de texto confessando o estupro, o celular não estava na posse do ex-namorado.

Eles descobriram também que os exames apresentados pela jovem haviam sido alterados. Neles, diziam que o especialista havia notado marcas vermelhas em seu pescoço, que ela associou a um momento de raiva do namorado. Contudo, não havia nada no relatório sobre estupro ou espancamento.

Meses depois, ela alterou o exame e sugeriu à polícia que uma investigação maior deveria ser feita. Assim, ela conseguiu uma ordem de restrição contra Andrews, e mudou o nome de um contato em seu telefone para fazer parecer que ele estava lhe incomodando com ligações.

Segundo o procurador Tony Prosser, “a relação estava passando por problemas, e Akashh teria dito que queria acabar com ela. Quando sugeriu isso, ela afirmou estar grávida, mas ele disse que iria embora porque precisava de um tempo”. Ela afirmou que o denunciaria por agressão doméstica se o namoro acabasse.

Segundo o advogado, Michael Hillman, a jovem sofre de uma desordem de personalidade. “Ela afirma que foi vítima de abuso, mas teve que reconhecer que, como resultado de sua própria conduta, nunca vamos saber se isso realmente aconteceu, dadas as mentiras significativas que seguiram essa alegação”, disse.

Uttamsingh, conforme reportado pelo Mirror UK, não demostrou qualquer emoção quando foi presa. Ela chegou a ordenar que Andrews, parentes ou amigos, não se aproximassem por pelo menos cinco anos. A mãe, no entanto, que assistiu ao julgamento, chorou quando a filha foi levada para dar início à sua sentença.

Fonte: [ Mirror ] [ Fotos: Reprodução / Mirror ]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui