Antes de morrer, Paulo Henrique Amorim denunciou compra de deputados na reforma da previdência

Foto: Divulgação

Um dos últimos post do jornalista Paulo Henrique Amorim, em seu blog Conversa Afiada, reverbera a notícia segunda qual o governo Jair Bolsonaro (PSL) estaria comprando votos de deputados para aprovar a reforma da previdência.

“Governo (sic) paga R$ 1 bi para aprovar a Previdênssia”, cravou PHA, como era conhecido o jornalista morto hoje pela manhã aos 77 anos. “Toma lá é um colosso, Míriam”, escreveu no subtítulo, referindo-se ironicamente à jornalista da Globo Miriam Leitão.




A denúncia do Conversa Afiada também destaca que o governo “empenhou” R$ 2,6 bilhões só nos seis primeiros dias úteis de julho.

A matéria publicada revela que às vésperas do início da discussão da reforma da Previdência no plenário da Câmara, nesta terça (9), o governo Jair Bolsonaro liberou quase R$ 1 bilhão em emendas parlamentares vinculadas à área de saúde. Ou seja, abriu um balcão de negócios no Congresso.

O plenário da Câmara pretende retomar a votação da reforma da previdência a partir das 10h30 desta quarta-feira (10). O objetivo do governo é descapitalizar os trabalhadores para capitalizar em R$ 1 trilhão os bancos privados. Será o maior confisco da história recente da humanidade.

Fonte: EsmaelMorais

Comentários