Da série: a corrupção só vai ser combatida se for da oposição!

Pessoal, vocês podem ser eleitores do presidente Jair Messias Bolsonaro e isso é válido numa democracia, agora convenhamos que a decisão do Supremo Tribunal Federal de determinar a suspensão da investigação pelo Ministério Público do RJ, relativas às movimentações financeiras de “Queiroz”, assessor ligado ao senador eleito Flavio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, contradiz o princípio da transparência na administração pública e caminha no sentido contrário aos anseios democráticos, tornando-se um verdadeiro absurdo.

Agora deixo a seguinte pergunta no ar… Mudou alguma coisa no tocante ao combate à corrupção no Brasil? ou à corrupção deve ser combatida de forma seletiva?

Agora reconheço que o presidente Bolsonaro e a sua trupe são verdadeiros mitos.

Samuel Costa é natural de Porto Velho, professor, graduado em direito, pós graduando em direito público, mestrando em educação e pai da Sofia Costa.