Farmacêuticos de Rondônia são Vítimas de Políticas Populistas

Foto: Ilustrativa

Uma característica de quase todo sindicalista considerado “raiz” é o discurso populista, aquele com palavras vibradoras e apaixonantes que desperta o sentimento de revolução e luta em prol da classe trabalhadora, sofrida e explorada.

Mas nesses últimos anos temos visto além dos discursos envolventes diversas incoerências. Exemplo seria que a maioria dos sindicalistas são funcionários públicos, e se utilizam de mandato classista, ou seja não trabalham e ainda recebem por isso. Já pensou alguém defender uma classe trabalhadora e esse representante não trabalha?

Além desse pequeno detalhe muitos ganham as famosas diárias para viajar a vontade, recebimento de vantagens ao longo do tempo de forma indevida, que acabam muitos sofrendo processos judiciais por enriquecimento ilícito.

Não é diferente da representante dos Farmacêuticos de Rondônia, que além de Conselheira Federal, também é SINDICALISTA. Uma Paraíbana com um discurso forte e com uma voz que beira a histeria tenta iludir os Farmacêuticos.

Ela não é diferente dos demais representantes sindicalistas a moda ‘raiz’ no Brasil a fora. Ela está afastada desde de 2010 do seu emprego como servidora pública estadual, por participar do SINFAR RO, como secretária, e sendo assim ,ela goza do direito constitucional do chamado MANDATO CLASSISTA que é o direito dela de se afastar dos seu emprego e exercer o cargo para representar a classe.

Então são 10 anos que a mesma não trabalha. Para piorar já é noticiado em vários anos que ela sempre se utilizou de artifícios duvidosos, listas com assinaturas de farmacêuticos falsificadas, que em consequência ela é indiciada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Além disso é julgada por enriquecimento ilícito pela Justiça Federal , a qual aguarda apenas o recurso, que se for julgado novamente, ela pode perder todas suas funções públicas.

Sem contar que é alvo de vários processos administrativos no Estado. A situação é tão crítica que ela esta prestes a ser afastada e ter que ser obrigado a restituir todo o dinheiro que recebeu durante esses anos ao Estado de Rondônia e sofrer sérias punições.

Parece que é uma pratica recorrente dos sindicalistas “raiz” ter o discurso tão forte e emocionante apelando para as dores que os trabalhadores vivem, mas muito incoerente na prática. A senhora Conselheira Federal do Estado de Rondônia é uma Paraibana arretada nos discursos, mas vive as regalias dos trabalhadores Farmacêuticos fazendo discursos ao sol de meio, com roupas e bolsas de grife, e não trabalha. Também pudera, trabalhar para que?


Fonte: Assessoria