Lava Jato: PF prende ex-superintendente do Banco Prosper no Rio

Conhecido como Gigante, Edson Menezes foi detido na manhã desta quinta-feira

© REUTERS
Anúncio

À serviço da operação Lava Jato, a Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira (16) Edson Menezes, ex-superintendente do Banco Prosper e ex-presidente da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. le é atualmente presidente do comitê organizador da Rio-16, e tem como função finalizar as atividades da entidade, repleta de dívidas.

Conhecido como “Gigante”, ele foi preso em seu apartamento, no Leblon, Zona Sul da capital carioca. As informações são do “G1”.




A prisão de Edson Menezes é fruto de uma investigação sobre o pagamento de propina na venda da folha de pagamentos dos servidores do estado do Rio de Janeiro em 2011, quando Sérgio Cabral era governador. O negócio foi preparado por uma consultoria da FGV, que subcontratou o Banco Prosper.

Segundo Carlos Miranda, operador de Sérgio Cabral, Edson Menezes prometeu pagar R$ 6 milhões pela folha de pagamentos. A quantia, de acordo com o “Globo”, foi paga metade em dinheiro e metade em vinho.

Notícias ao Minuto
Edson Menezes

A investigação também mira a Fundação Getúlio Vargas.

Menezes é amigo do ex-presidente da Rio-16 Carlos Arthur Nuzman e ganhou assento no Conselho Diretor da entidade. Com a prisão do cartola, acusado de comprar votos no COI (Comitê Olímpico Internacional), ele acabou assumindo o comando da entidade.

Deixe seu Comentário