Macabro: mãe mostra como estrangulou e enterrou seu bebê “não tinha dinheiro para alimentá-lo”

O vídeo perturbado mostra uma mãe tremendo reproduzindo a forma como ela assassinou o seu bebê “faminto” alegando que não poderia dar comida para ele

Foto: Divulgação
Anúncio

Ao carregar uma boneca, Yulia Khabitova, de 28 anos, mostrou à polícia em Bashkortostan, na Rússia Ocidental, como ela carregou o seu filho Timur, de um ano de idade, para fora e o estrangulou até à morte.

Ela disse que contou ao menino: “Vai ficar tudo bem, você nunca mais terá fome. Você nunca mais vai chorar”.




Durante a reconstrução do crime, a mãe que chorava confessou estrangulá-lo com uma corda, cavar uma cova numa pilha de estrume com uma pá e enterrá-lo com um cobertor.

Foi relatado que os policiais choravam quando encontraram o sepultamento improvisado da criança na aldeia de Ismailovo. O pai do bebê, Denis Tkachev, 34 anos, havia deixado Yulia porque ela “tinha um novo admirador”, relata a mídia local.

Yulia inicialmente alegou que a criança tinha desaparecido antes de confessar o assassinato.




Falando com a polícia, ela disse: “Estrangulei-o, envolvi-o num cobertor e enterrei-o debaixo do estrume. Eu não tinha dinheiro suficiente nem mesmo para comprar comida para ele.”

Recentemente, ela conseguiu um emprego empilhando prateleiras de alimentos e pagou a uma babá para cuidar de seu bebezinho, mas alegou que não podia sustentar a criança.

A babá disse: “Tive pena do menino. Ele estava com fome. Comprei-lhe puré de bebé, legumes e carne, cozinhei refeições quentes para ele. Sua mãe disse que não tinha dinheiro para mais comida.”

A avó paterna da criança, Svetlana, disse: “Ela estava trabalhando duro. Seus filhos estavam sempre bem vestidos, ela os amava muito. Mas ela acreditava que a mulher poderia ter encontrado comida para a criança.”




Yulia, que também tem uma filha de cinco anos adormecida no momento da morte, está detida há dois meses.

Ela enfrenta entre oito e 20 anos de prisão se for condenada por “assassinato deliberado”.


Fonte: Mceará

Deixe seu Comentário