Museu da Vagina chega a Londres em novembro

Uma iniciativa da comediante Florence Schechter para combater tabus em torno do órgão sexual feminino

Foto: Divulgação
Anúncio

A comediante britânica Florence Schechter é a diretora do primeiro Museu da Vagina do mundo, que vai abrir em Londres no mês de novembro. O objetivo: destruir o estigma associado aos órgãos genitais femininos.

A ideia surgiu em 2017, depois da comediante ter tido conhecimento da existência de um museu islandês dedicado ao pênis. Não conformada com a falta de um museu idêntico devoto à genitália feminina, Schechter avançou com a ideia e defende que o museu, que será situado em Camden, não está só vocacionado para as mulheres, mas para todos os gêneros. “Nem todos os que têm uma vagina são mulheres e nem todas as mulheres têm uma vagina”, justifica a diretora à Reuters.

Na mesma entrevista à agência de notícias, a britânica esclareceu que o museu não será apenas uma exposição de quadros e esculturas, mas também um espaço de reflexão sobre questões como a mutilação genital feminina, a violação, a violência doméstica e a saúde sexual.

O preconceito em relação a estes temas pode ter consequências “no mundo real”, diz. A comediante recorda que ainda há mulheres que não se sentem confortáveis ao fazer check-ups ginecológicos, exames ao colo do útero ou a falar sobre a menstruação. “É mais difícil falar sobre o tema quando se tem vergonha do corpo. Trata-se de acabar com o estigma”, finaliza.


Fonte: TERESA DAVID

Comentários