Saiba que acordos foram firmados por Bolsonaro durante visita a Israel

Os governos do Brasil e de Israel firmaram acordos de cooperação em áreas distintas, durante a visita oficial de Bolsonaro a Israel, que ocorreu do último domingo (31) até esta terça-feira (3).

Foram assinados acordos nas áreas de defesa, serviços aéreos, prevenção e combate ao crime organizado, ciência e tecnologia, além de um memorando de entendimento em segurança cibernética.

Os dois governos concordaram em cooperar em diversos setores, como petróleo e gás, termoeletricidade e energias renováveis. No campo da energia e da mineração, Bolsonaro e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reconheceram o papel transformador da inovação, da robótica e da segurança cibernética.




O Ministério das Relações Exteriores informou, por meio de nota, que como produtores relevantes de gás natural, os dois países “intercambiarão melhores práticas sobre a concepção dos mercados domésticos de gás natural”.

Bolsonaro e Netanyahu também firmaram parceria na área de ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento de startups. Eles ressaltaram que os intercâmbios entre Brasil e Israel nos campos da ciência, tecnologia e inovação sustentam as “sinergias existentes em diversas áreas” que deverão ter investimentos recíprocos.

Os dois líderes ainda destacaram a celebração de um acordo de serviços aéreos, que busca a conectividade entre os dois países, garantindo ampla liberdade operacional às companhias aéreas. Eles enfatizaram a determinação de adotar iniciativas militares conjuntas e abre caminho para laços mais estreitos neste campo.

Durante a visita, Netanyahu também reiterou seu forte apoio à adesão do Brasil à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Israel lembrou com apreço o papel fundamental desempenhado pelo Brasil durante a Assembleia Geral das Nações Unidas que aprovou a Resolução 181, em 1947, sob a presidência do então chanceler Oswaldo Aranha, que abriu caminho para a recriação do Estado de Israel na terra ancestral do povo judeu, em 14 de maio de 1948.




Saiba mais sobre os acordos:

Energia

Os líderes observaram com satisfação que, em reuniões entre os ministros de Minas e Energia, os dois governos concordaram em cooperar em diversos setores, como petróleo e gás, termoeletricidade e energias renováveis. No campo da energia e da mineração, eles reconheceram o papel transformador da inovação, da robótica e da segurança cibernética. Como dois produtores relevantes de gás natural, os dois países intercambiarão melhores práticas sobre a concepção dos mercados domésticos de gás natural.

Ciência, Tecnologia e Inovação

Os dois líderes saudaram a assinatura do Acordo de Cooperação em Ciência e Tecnologia, que permitirá planejamento mais adequado, monitoramento e avaliação das atividades bilaterais, assim como o lançamento de novas iniciativas no campo da ciência e tecnologia. Eles expressaram satisfação com os esforços de aproximação dos ecossistemas de inovação brasileiro e israelense. Nesse contexto, celebraram o lançamento de duas chamadas conjuntas da FINEP e da EMBRAPII com a Autoridade Israelense de Inovação, assim como a primeira edição do programa “Scaleup in Brazil” com startups israelenses.

Promoção comercial / investimentos

Os líderes observaram que os intercâmbios entre Brasil e Israel nos campos da ciência, tecnologia e inovação ilustram as sinergias existentes em diversas áreas, que podem e devem ser mais exploradas para estimular investimentos recíprocos, que estão aquém do nível e da complexidade das economias dos dois países.




Aviação Civil

Os líderes tomaram nota com satisfação da celebração de um acordo de serviços aéreos entre Brasil e Israel. O acordo procura aumentar a conectividade entre os dois países, garantindo ampla liberdade operacional às companhias aéreas, o que ajudará a fortalecer os laços entre as suas sociedades.

Segurança pública e segurança cibernética

Os líderes se comprometeram a aprofundar a cooperação bilateral em segurança pública e no combate a todas as formas de crime organizado. A esse respeito, expressaram satisfação com as possibilidades oferecidas pela assinatura de um acordo bilateral sobre segurança pública e um memorando de entendimento sobre segurança cibernética.

Defesa

Os líderes enfatizaram os benefícios mútuos decorrentes da cooperação em assuntos relacionados à defesa e expressaram seu compromisso de se engajarem em um diálogo construtivo nesse campo. Congratularam-se com a assinatura do Acordo de Cooperação em Matéria de Defesa, que fornece arcabouço legal para iniciativas militares conjuntas e abre caminho para laços mais estreitos neste campo.

Fonte: NOTÍCIAS AO MINUTO

Artigo anteriorUm ano após prisão de Lula, Haddad sairá em caravana pelo sul do país
Próximo artigoPEC que retira do governo poder sobre Orçamento deve ser votada hoje