Aos 83 anos, morre Dom Moacyr Grech, arcebispo emérito de Porto Velho

Dom Moacyr teve como lema: “O último de todos e o servo de todos”. (Marcos 9:35)

Foto: Divulgação
Anúncio

Porto Velho, Rondônia-Morreu na noite desta segunda-feira (17) o arcebispo emérito de Porto Velho, Dom Moacyr Grech, defensor dos direitos humanos, figura de proa no combate à corrupção e preminente membro da Igreja Católica no Brasil, com reconhecimento mundial.

Ao portal G1, a freira Maria de Fátima Gonçalves, que acompanhava o religioso, informou que ele teve duas paradas cardíacas nesta segunda e vinha reclamando de dores abdominais.

Dom Moacyr foi internado pela manhã num hospittal particular de Porto Velho e estava na Unidade de Terapia Intensiva.

A Igreja Católica ainda não informou detalhes sobre o velório e sepultamento.

“Ele teve a primeira parada por volta das 15h. Depois foi reanimado pelos médicos, mas voltou em estado grave. Agora a noite teve a segunda, mas ele não voltou”, explicou a irmã ao G1.

Dom Moacyr nasceu em Turvo, Santa Catarina, em 19 de janeiro de 1936.

Em 1949, ingressou no Seminário da Ordem dos Servos de Maria, em sua cidade natal. Em 29 de julho de 1961, foi ordenadosacerdote.

Em 17 de julho de 1972, foi escolhido para ser bispo da diocese de Rio Branco pelo Papa Paulo VI.

Em 29 de julho de 1998, foi nomeado arcebispo de Porto Velho, tendo tomado posse em 8 de novembro de 1998. Aposentou aos 75 anos e foi substituído em 3 de março de 2012 por Dom Esmeraldo Barreto de Farias.

Foi um dos criadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI)[2] e da Comissão Pastoral da Terra, entidade que presidiu por oito anos.[3] [4]

Destacou-se pela defesa dos indígenas, dos seringueiros e dos trabalhadores rurais. Lutou pela punição dos assassinos de Chico Mendes, que conheceu pela atuação nas Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s).

Fonte: Tudorondonia/Wikipedia/G1

Comentários