Diego Muniz “braço direito” diz que Mauricio Carvalho manda na prefeitura

Anúncio

Quem achou que a nova gestão de Hildon ia ser mais compromissada e preocupada com os anseios da sociedade está enganado. O fato é, que o vice-prefeito eleito na chapa, ex-vereador Maurício Carvalho, tem usado a estrutura pública da prefeitura para nomear ‘amigas’ e ‘brothers’ para ganhar gordos salários. É semelhante ao Neymar, que paga salário aos seus amigos de balada, mas a diferença é que Maurício usa recurso público.

Poucos dias antes campanha eleitoral de 2020, foram nomeadas diversas ‘amigas’ em secretárias estratégicas e importantes para o funcionamento da máquina pública, que logo depois estavam levantando bandeira nos pits stops da ‘carreta do 45’. (Breve falamos disso, o assunto agora é outro).

Iniciando as nomeações em cargos de confiança para os próximos 4 (quatro) anos da gestão Hildon/Carvalho, amigos do vice prefeito estão sendo nomeados com altos salários. E o pior, sem nem formação básica. O básico. B-Á-S-I-C-O, que é o ensino fundamental.

O motorista ‘SAPINHO’

O amigo pessoal e motorista, Antônio Carlos Araújo Machado Filho, vulgo Sapinho, ganha R$ 8.883,00 para dirigir para o vice-prefeito de Porto Velho. Ele não poderia assumir o cargo porque acima do CC 20 – com salário maior -, porque a estrutura pública da prefeitura exige nível superior. Sapinho tem mal o ensino fundamental.

Outro ‘Brother’

Braço direito de Maurício Carvalho, Diego Muniz, também nomeado com alto salário na prefeitura de Porto Velho, anda contando vantagem nos corredores que o prefeito Hildon Chaves só renuncia em abril de 2022, mas seu chefe já manda em toda gestão. “Vamos perseguir esse pessoal até nossos adjuntos serem titulares. Não vamos esperar até 2022 para mandar na prefeitura”, teria dito Diego, cuja determinação é do próprio vice-prefeito.

Em 2020, este portal anunciou que Hildon iria renunciar e Maurício assumiria a prefeitura. O site foi acusado de propagar fake news até pela emissora dos Leoni, mas, como disse a ex-presidente Dilma: a história será implacável no seu julgamento. Esperem até 2022 e nos dê razão.


Fonte: EuIdeal