Em plena pandemia Procurador Geral de Justiça oferece pagamento de verbas aos membros do MP/RO visando reeleição

O Procurador-Geral de Justiça do Estado de Rondônia Dr. Aluildo de Oliveira Leite encaminha e-mail aos demais membros informando sobre pagamento de licença-prêmio, férias e folgas em pecúnia a poucos dias da eleição para o cargo de Procurador-Geral do MP/ RO.

Anúncio

 O chefe do Ministério Público de Rondônia, Promotor de Justiça Aluildo de Oliveira Leite enviou comunicado, através de e-mail, a todos os Promotores e Procuradores de Justiça do MP-RO, com o seguinte teor:

Senhores Membros,
Considerando os avanços obtidos na execução orçamentário-financeira e a política de gestão adotada pela Administração Superior, especialmente em razão de medidas de contenção de gastos, informo que no mês MARÇO/2021 será efetuado o pagamento de indenização de férias ou de licença-prêmio ou de recesso aos membros detentores desse direito que tiverem interesse, em valor a ser definido de acordo com a disponibilidade orçamentário-financeira, ficando o remanescente, se for o caso, para pagamento oportuno.

Sede do MP/RO em Porto Velho (RO)

O que mais chama a atenção é que o MP-RO, entre os dias 1º a 15 de março de 2021 (art. 7º da Resolução nº 1/2021/CPJ, publicado no Diário do MP-RO do dia 08/01/2021), estará em eleição para o cargo de Procurador-Geral de Justiça, sendo que o atual Procurador-Geral é candidato à reeleição.

É do conhecimento de todos que o MP-RO, no final de cada ano, paga aos seus Membros vultosas quantias de dinheiro a título de férias, licença-prêmio e folgas indenizadas, não raras as vezes Promotores de Justiça e Procuradores de Justiça tenham recebido, no mês de dezembro, valores superiores a R$ 100.000,00 (cem mil reais), podendo o leitor confirmar tal informação acessando o seguinte link: https://servicos-portal.mpro.mp.br/web/mp-transparente/contracheque/membros.

Enquanto isso os demais servidores do órgão fiscalizador não gozam dos mesmos benefícios e amargam grandes perdas salariais, ao longo dos anos, o que se agravou durante a pandemia Covid-19.

Nunca foi costumeiro ao MP-RO realizar esse tipo de pagamento de férias, licença-prêmio e folgas indenizadas a poucos dias de uma eleição para o cargo de Procurador-Geral de Justiça, ainda mais nesse período de recessão econômica ocasionada pela pandemia da COVID-19.
Daí pergunta-se: Estaria o Procurador-Geral de Justiça Aluildo de Oliveira Leite agindo em causa própria com os pagamentos de benesses aos Membros do MP-RO as poucos dias da eleição para o cargo o qual tal Membro concorre à reeleição?


Fonte: Brasil364

Deixe seu Comentário