Pai estupra filha e engravida enteada varias vezes; “era obrigada a fazer aborto”

Ele fazia os abortos em casa, injetando produtos químicos na garota

Foto: Divulgação

Um pai está atrás das grades por 20 acusações de estupro e desvio involuntário da relação sexual com uma criança, depois que os investigadores disseram que ele estuprou uma jovem garota e engravidou outra em várias ocasiões. As informações é do Erie News Now.

Jason Daniel Goodwill, 51, da Dunn Valley Rd., foi acusado na terça-feira de agressão sexual; estupro forçado; desvio involuntário de relação sexual forçado; duas acusações de estupro, corrupção de menores e agressão indecente sem consentimento; quatro acusações de agressão indecente de uma pessoa com menos de 13 anos de idade; e três acusações de colocar em risco o bem-estar de crianças e desvio involuntário de relação sexual com uma criança.




A ele foi negada a fiança e está atrás das grades no Presídio do Condado de Erie devido à gravidade das acusações e à possibilidade de acusações adicionais.

A Polícia Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos, disse que a investigação se estende de 2006 a 2020, e as vítimas – uma criança de 12 e um jovem de 20 anos – estavam sob custódia da Goodwill quando os crimes ocorreram.




A investigação começou em 7 de maio, quando os investigadores foram chamados à Clínica de Assistência à Criança Hamot da UPMC por suspeita de abuso infantil em uma residência no município de McKean, envolvendo as vítimas, segundo a Polícia Estadual.

A criança de 12 anos foi levada à Clínica Infantil para teste, depois que ela disse à jovem de 20 anos que estava sendo abusada sexualmente pela Goodwill, informou a denúncia criminal.

A jovem de 12 anos disse aos investigadores que ela foi abusada sexualmente mais de uma vez dentro de casa, a começar quando tinha cerca de dez anos de idade. A filha disse que a Goodwill ” não” em várias ocasiões, e ele ameaçou que ela seria levada ao hospital, colocada em uma mesa e as coisas seriam tiradas dela se ela contasse à mãe sobre o que ele fez, de acordo com a denúncia criminal.




Ela também disse aos investigadores que a Goodwill mostrou pornografia infantil no seu telefone quando ela tinha aproximadamente 11 anos de idade. Ele a forçou a fazer sexo com ele e a tocou inadequadamente durante esses atos sexuais, escreveu o investigador na denúncia criminal.

A jovem de 20 anos disse aos investigadores que ela havia sido abusada sexualmente pela Goodwill a partir dos 7 anos de idade, aproximadamente. Ela disse que a Goodwill a tocou inadequadamente e a forçou a fazer sexo com ele regularmente, quase diariamente, e disse que “ela perderia sua família e a casa em que mora” se não o fizesse, disse a denúncia criminal.

Ela disse que acredita que a Goodwill a engravidou em várias ocasiões, segundo a Polícia Estadual. Ele a injetou com um químico para induzir o parto de forma não natural, para que ele pudesse abortar a gravidez, disse o investigador.




A jovem de 20 anos disse que ela deu à luz uma criança em 2014, e a Goodwill tomou posse do bebê, que acabou falecendo e foi enterrado na propriedade da residência McKean, de acordo com a denúncia criminal.

Investigadores da Polícia Estadual dizem ao Erie News Agora eles serviram uma ordem de busca na casa em 12 de maio e recuperaram provas na propriedade em conexão com a morte de uma criança.

Os investigadores da Polícia Estadual disseram que estão procurando evidências físicas adicionais relacionadas ao relatório da criança de 20 anos de idade e que apresentarão mais acusações criminais, se necessário.


Fonte: Mceará

Comentários