Projeto Floresta+ Amazônia financia ações de conservação em Rondônia

A ação é uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Saiba como participar do edital e da chamada pública em andamento.

Foto: Divulgação
Os (as) pequenos (as) produtores(as), os (as) proprietários(as) ou os (as) possuidores(as) de imóveis rurais, os povos indígenas e as comunidades tradicionais de Rondônia poderão receber apoio financeiro pela proteção e recuperação da floresta por meio do Projeto Floresta+ Amazônia. O objetivo é valorizar aqueles que contribuem para o desenvolvimento sustentável na região, preservando a floresta e colaborando, assim, para a redução da emissão de gases de efeito estufa.
Os povos indígenas e comunidades tradicionais  podem apresentar, até o dia 26 de maio, ideias de projetos para fortalecer a gestão ambiental de territórios coletivos, por meio de edital da modalidade Floresta+Comunidades. Os projetos locais deverão ser implementados em até 24 meses e terão o orçamento de R$ 100 mil a R$ 800 mil.
Já os(as) pequenos(as) produtores(as), os proprietários(as) e os possuidores(as) de imóveis rurais podem se inscrever até o dia 30 de junho em chamada pública da modalidade Floresta+Conservação. Os(as) selecionados(as) receberão incentivos financeiros pela conservação da vegetação nativa. Os(as) beneficiários(as) selecionados receberão o pagamento de, no mínimo, R$ 400,00 por hectare de excedente de vegetação nativa por ano.
As orientações sobre o edital do Floresta+Comunidades e a chamada pública da modalidade Floresta+Conservação estão disponíveis no site Projeto Floresta+ Amazônia, onde também é possível consultar as informações sobre as outras modalidades do projeto, conteúdos multimídia e chamadas de editais, além da inscrição para o recebimento de notícias sobre o projeto.

Anúncio

Floresta+ Amazônia


O Floresta+ Amazônia é resultado de uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e conta com quatro modalidades – Conservação, Recuperação, Modalidades e Inovação.
O projeto usa a estratégia de pagamentos por serviços ambientais para, até 2026, colaborar para a redução de emissões de gases de efeito estufa, com recursos do Fundo Verde para o Clima (GCF).

Deixe seu Comentário