Raimundo Nonato da CUT acusa Prefeitura de proibir propaganda de candidatos na eleição do IPAM

Dirigente sindical é candidato a conselheiro de previdência e fala sobre a atual situação do instituto

Anúncio

O dirigente sindical Raimundo Nonato da CUT acusou o prefeito Hildon Chaves, durante entrevista ao Portal Brasil364, de prática de ´atos antidemocráticos´. O prefeito proibiu servidores públicos possam fazer propaganda eleitoral aos cargos do Instituto de Previdência e Assistência d(PAM) dentro das secretarias municipais, cujas eleições ocorrerem dentro de duas semanas.

Segundo Raimundo Nonato da CUT, isso nunca aconteceu em outras gestões, e lembrou que a eleição não é partidária, mas administrativa para a escolha de representantes de um instituto que pertence aos próprios servidores. “Ele limita a participação de servidores em um ato que ele mesmo convocou”, diz o sindicalista.
Raimundo Nonato da CUT diz foi barrado na manhã de hoje quando tentou colar um cartaz de sua candidatura a conselheiro de previdência na unidade de saúde do Aponiã pela diretora da unidade. Ele pediu esclarecimentos sobre a proibição e lhe foi indicado a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).
De acordo com o dirigente, ele recebeu a confirmação da proibição da secretária-adjunta Marilene Penati. “Ela me falou que a proibição de propaganda nas unidades partiu da assessoria jurídica da Semusa. Agora eu pergunto: baseado em quê a assessoria deu uma orientação como essa?”, questionou.

ASSISTÊNCIA MÉDICA

Raimundo Nonato não disse claramente, mas sabe que a Prefeitura vai fazer de tudo para não elegê-lo ou adversários políticos que possam descobrir algo que possa comprometer a situação do IPAM que, segundo ele, não possui gestão, está sucateado e no fundo do poço.

“Temos recebido inúmeras reclamações da base dos servidores que não estão conseguindo atendimento. Isso nunca aconteceu no IPAM. A função do conselheiro do Conselho Deliberativo, a qual sou candidato, é justamente essa: a de fiscalizar as ações do Executivo”, comentou.

Nas palavras do dirigente sindical, o atual conselho deliberativo está irregular no cargo, pois teve o mandato de seus membros prorrogado sem eleição, além do mandato do coordenador de previdência. Para ele, a falta de legitimidade desses conselheiros impacta diretamente na qualidade de serviços oferecidos pelo instituto e principalmente no servidor público.

“Com a prorrogação, esses cargos passaram a ser de confiança do prefeito e não cargo de confiança do servidor. Os sete que estão dentro do IPAM representam o prefeito e não o servidor”, disparou. Raimundo Nonato da CUT diz que já fez inúmeras denúncias sobre isso, mas até agora o MP não tomou nenhuma providência. “Após a eleição vou representar o prefeito não apenas pelo cerceamento de que foi vítima, mas também por ele ter prevaricado contra a legislação do IPAM.

Ao ser questionado sobre a hipótese de extinção da Assistência Médica do IPAM, Raimundo Nonato da CUT disse que já está havendo uma debandada de servidores municipais e que somente a melhoria no atendimento, pelo menos no básico, poderia melhorar a atual situação. Para Raimundo Nonato, o Instituto arrecada muito, mas não tem gestão, lembrando que cada servidor contribui com 9% de seu contracheque mensal, além de 1% por dependentes, sem ter uma contrapartida eficiente e justa de serviços.

Ao finalizar, Raimundo Nonato da CUT que existe muita diferença entre a gestão de ´antigamente´ e a atual. “Hoje é preciso pedir a bênção do diretor de assistência médica para conseguir um exame ou uma consulta médica. Eles cercearam todo o direito de atendimento do filiado e seus filiados na assistência médica. É por isso que não abro mão de uma auditagem nas contas e nos fundos da assistência e da Previdência do IPAM”, concluiu.


Fonte: Brasil 364

Deixe seu Comentário