Advogado é preso após chamar policial penal de ‘preto filho da p*’

Insultos aconteceram na unidade prisional após suspeito solicitar que cliente escrevesse carta para a família

Foto: Divulgação
Anúncio

Um advogado de 46 anos foi preso, nessa quinta-feira (6), após insultar policiais penais dentro do Ceresp Gameleira, região Oeste de Belo Horizonte (MG). A confusão aconteceu durante uma visita a um detento.

De acordo com o registro policial, no atendimento ao cliente, o defensor teria solicitado que ele escrevesse uma carta para a família, o que contraria as normas de segurança da unidade.




Ao ser alertado pelo policial penal, o advogado puxou o papel por baixo do vidro afirmando que “não tinha nada disso e que ele mesmo escreveria a carta”. Como o defensor estava exaltado, a visita foi encerrada e, nesse momento, teria começado uma sequência de xingamentos.

Conforme o boletim de ocorrência, o advogado teria mandado o agente penitenciário “tomar no c

”. Em seguida, o homem chamou uma outra agente de “vagabunda, filha da p
igual ao colega dela” e que chamaria a polícia.
Posteriormente, o advogado saiu correndo pela rampa da unidade prisional e, se dirigindo ao primeiro agente, gritou “preto, filho da p.




. Vai tomar no c
”.
“Não posso ser preso. Sou advogado”, teria dito o homem.

Ainda conforme o registro, o homem disse que “não poderia ser preso por ser advogado” e que “fora do sistema prisional os policiais penais não eram nada, e ele era advogado”. Além disso, “se tivessem estudado, eles não seriam agentes”.

O homem foi algemado e encaminhado à Delegacia de Plantão 3 (Deplan). Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foram acionados.




A reportagem entrou em contato pelo telefone fixo da ordem, mas foi informada pelo porteiro de que o atendimento só começa às 9h.

A reportagem aguarda um posicionamento da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) .


Fonte: O TEMPO

Deixe seu Comentário