Horóscopo do dia: confira o que os astros revelam para esta segunda (8/3)

Veja o horóscopo por Oscar Quiroga para desvendar esta segunda-feira, 8 de março, de acordo com cada signo

(crédito: Pixabay/Reprodução)
Anúncio

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, e pela sua extensão e significado Dia Internacional Feminino também, exorto os aprendizes de astrologia e os que se apropriam da linguagem simbólica da astrologia, a revisarem o conceito de que o feminino se encontra na Lua. A Lua é um corpo estelar morto, um cadáver, cuja luz é reflexo da masculinidade solar, o patriarca. Ora, continuar disseminando a ideologia de que o feminino não é nada, porque depende sempre da luz masculina para brilhar, é um conceito anacrônico, derrubado pela avassaladora realidade de que o feminino possui, e sempre possuiu, luz própria. Sim, nas entrelinhas dos conceitos astrológicos serpenteiam equívocos que continuam sendo repetidos impensadamente. A Lua não é o feminino, a Lua é a forma da personalidade, que brilha com a luz da Alma, que é hermafrodita.

ÁRIES (nascimento entre 21/3 a 20/4)

Muitos sacrifícios foram feitos para chegar até aqui e agora, muitos mais ainda terão de ser feitos para preservar tudo em bom andamento. O sacrifício é a medida de seu interesse e envolvimento na vida.

TOURO (nascimento entre 21/4 a 20/5)

Tudo poderia ser mais, sempre. Mas, há momentos em que se torna necessário ter fundamentos sólidos, para quando sua alma embarcar noutra aventura ela possa ter certeza de que retornará sã e salva das experiências.

GÊMEOS (nascimento entre 21/5 a 20/6)

Para conseguir o que pretende não se pode confiar na sorte, você vai ter de fazer o necessário para que aconteça tudo que você quer. Por isso, este é um momento em que a coragem e o medo se apresentam ao mesmo tempo.

CÂNCER (nascimento entre 21/6 a 21/7)

Este é o momento de os relacionamentos se tornarem reflexo, o momento em que as pessoas fazem com você exatamente o que você faz com elas, tanto no bom sentido quanto no pior também. O espelho ensina muita coisa.

LEÃO (nascimento entre 22/7 a 22/8)

Há tanta potencialidade junta se mostrando a você, que o risco atual é sua alma se dispersar nas diversas ramificações, em vez de continuar erguendo tudo o necessário para o progresso se tornar estável e sólido.

VIRGEM (nascimento entre 23/8 a 22/9)

Dessa vez, será melhor abrir completamente sua alma e expressar com vigor aquilo que você sente. Faça assim dessa vez, superando a inútil timidez, porque a expressão firme e clara dos sentimentos é um fim em si mesmo.

LIBRA (nascimento entre 23/9 a 22/10)

Os mundos coexistem, coisas do passado se misturam com o futuro que, agora mesmo, está sendo tecido. Complete a jornada de rupturas, para não carregar mais peso morto sobre suas costas. Seguir em frente com leveza.

ESCORPIÃO (nascimento entre 23/9 a 21/11)

Muita coisa para fazer, muita coisa emperrada que, agora, você pode dinamizar um pouco, o que resultará em alívio, com certeza. É tudo questão de manter o bom humor, a leveza e a alegria. Assim, tudo dá certo.

SAGITÁRIO (nascimento entre 22/11 a 21/12)

Proteja o que considerar seu, este é o momento de traçar fronteiras definidas para que ninguém tenha lugar à dúvida. Este é o momento de sua alma se sentir segura e de se defender de quaisquer distorções.

CAPRICÓRNIO (nascimento entre 22/12 a 20/1)

Tomar iniciativas é importante, além de inevitável, porque a vida não acontece automaticamente, você precisa fazer acontecer o que estiver dentro de suas pretensões. Tome as iniciativas mais importantes hoje.

AQUÁRIO (nascimento entre 21/1 a 19/2)

Há sacrifícios que valem a pena, mas há outros, que são inúteis. Você não precisa sofrer, como regra geral, para obter cada coisa que quiser da vida. Deixe o sofrimento para os momentos de frustração e decepção.

PEIXES (nascimento entre 20/2 a 20/3)

Tudo se articula, assim como também se desorganiza, na boa ou péssima trama de combinados que as pessoas fazem. Cumprir ou não cumprir o combinado, receber aquilo que foi prometido, a trama de promessas e cumpridos.


Fonte: CORREIRO BRASILIENSE

Deixe seu Comentário