Léo Moraes pede que MP/RO exija entrega completa do Regina Pacis

Até o momento o Governo de Rondônia recebeu mais de R$ 100 milhões em recursos nos últimos três meses

Anúncio

O deputado federal Léo Moraes (PODEMOS) protocolou no Ministério Público de Rondônia – MP/RO um pedido para que o órgão expeça uma cobrança ao Governo de Rondônia para entregar todos os leitos clínicos e de UTI do antigo hospital Regina Pacis.

Com a promessa de ampliar 140 leitos até o dia 14 de junho para atender as vítimas de COVID-19 em Porto Velho (RO), a estrutura do hospital atualmente, comprada pelo valor de R$ 12 milhões, se tornou uma frustração para o cidadão rondoniense, apenas 12 leitos foram colocados à disposição.

“Além da entrega ser atrasada foi também incompleta. Portanto, solicitamos que o órgão tome providências o mais rápido possível, e, se for necessário, ajuíze uma ação. Sabemos a importância desses leitos, uma vez que todos os dias temos inúmeros pacientes necessitando, não queremos que ocorram mais mortes por falta de leitos igual ocorreu no início do mês”, afirmou Léo Moraes.

Léo Moraes também pediu ao MP que expeça uma fiscalização na estrutura de Centro de Reabilitação de Rondônia – CERO, que recebeu investimentos para se tornar um hospital de atendimento à pacientes do COVID-19, porém, até o momento não abriu à sociedade.

“Não estamos criando situações, mas sim, fazendo o papel que nos cabe. É normal, muitos não gostam de ser cobrados ou fiscalizados. Buscam sempre desmerecer quem faz o papel correto. Porém, continuaremos fazendo o nosso papel, de forma independente, sem beber água na orelha de ninguém. Continuarei trabalhando de forma transparente e prestando contas com a população”, finalizou o deputado Léo Moraes.

Até o momento o Governo de Rondônia recebeu mais de R$ 100 milhões em recursos nos últimos três meses para o enfrentamento à pandemia.

O deputado ainda pediu que os cidadãos rondonienses que tiverem denuncias relacionadas à má gestão do dinheiro público no combate à COVID-19 no Estado, relatem essas informações através de suas redes sociais.


Fonte: Assessoria

Comentários