Polícia cumpre mandado de prisão preventiva contra assaltante que espancou presidente da Associação Comercial de Rondônia

Foto: Divulgação
Anúncio

Policiais da 1ª Delegacia de Polícia de Porto Velho, coordenados pelo delegado Osmar Casa, cumpriram na manhã desta sexta-feira (3), o mandado de prisão preventiva contra o apenado Arlisson dos Santos, 25 anos, acusado de invadir e roubar a sede da Associação Comercial de Rondônia (ACR), na avenida Presidente Dutra, região central da capital, no dia 20 de setembro deste ano. O presidente da entidade, Vanderlei Oriani, 56 anos, foi brutalmente agredido.

De acordo com os investigadores, Arlisson é o criminoso que aparece agredindo a coronhadas Vanderlei Oriani.

Dias depois de cometer o crime, Arlisson foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), após ser flagrado levando uma motocicleta roubada para o município de Guajará-Mirim.

Nesta sexta-feira, policiais civis foram até o Centro de Detenção Provisório Urso Branco e cumpriram o mandado de prisão preventiva expedido pela justiça.

No dia do crime, Arlisson invadiu a associação junto com seu comparsa Joel Viana Reis, que foi preso pela PRF no dia 6 de outubro desde ano, pelo crime de evasão, após ele romper a tornozeleira eletrônica que o monitorava.

Dias depois, a justiça deferiu o mandado de prisão contra Joel Viana e foi cumprido na penitenciária pelos investigadores.

O crime

No dia do crime, câmeras de segurança registraram a ação. Joel e seu comparsa chegam na recepção do local se passando por pessoas que normalmente frequentam a associação.

Em determinado momento, os dois sacam as armas e anunciam o assalto. O empresário, que aparece na recepção da associação, é levado para dentro de uma das salas.

Logo depois ele retorna sob a mira dos bandidos. Eles pegam o aparelho celular da vítima. Não satisfeito, um dos criminosos agride o empresário com coronhadas na cabeça.

Após o crime, policiais civis da 1 Delegacia de Polícia iniciaram as investigações. Não demorou muito e Joel foi identificado juntamente com seu comparsa Arlisson.

Os policiais descobriram que Joel estava sendo monitorado por tornozeleira eletrônica, respondendo por roubo. No dia do crime, ele usou papel alumínio no aparelho para dificultar seu rastreamento.

Joel é o criminoso que aparece nas imagens sentado na cadeira e sem boné. Por ter rompido a tornozeleira eletrônica, ele passou a ser considerado foragido da justiça.


Fonte: Rondoniagora

Deixe seu Comentário